Social Icons

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Foi Quase Um Estupro

Ultimamente ando um pouco distante de minhas amigas de baladinhas, o professor tem ocupado muito o meu tempo e tenho medo que ele tire meu jeito moleca de ser, não que seja ruim amadurecer, mas é muito cedo ainda.
Felizmente aquele atraso nas regras foi um alarme falso de gravidez.
Continuo me divertindo em seduzir e depois me esquivar do pai da Carol, percebi que minha indiferença o deixa com mais tesão, ele fica me comendo com os olhos e excitado ao ver-me com minhas roupas provocativas. Seduzir e provocar são dois dos meus passatempos preferidos.

Eis que um dia estava sozinha com a Carol em sua casa, era tarde de sábado e íamos sair. Fiquei em seu quarto esperando ela tomar banho. Assim que a amiga entrou no banheiro eu ouvi a moto do pai dela chegando. Claro que não iria perder a chance de provocar o coroa. Deitei na cama da Carol com a bunda pra cima, a minha minissaia deixava minha bunda quase toda de fora, coloquei os fones no ouvido fingindo ouvir música.
O tarado não demorou a aparecer, ouvi seus passos chegando e quando parou. Com certeza ficou olhando para minha minha calcinha e as outras partes que ela não cobris. Naquele momento ele já deveria saber que a Carol estava no banho; pelo barulho do chuveiro na porta ao lado. O safado veio quietinho pensando que eu não estava ouvindo e deitou em cima de mim me prendendo e beijando o meu pescoço enquanto me encoxava.
— Oi princesa, não resisti quando vi este corpinho lindo.
— Sai de cima de mim seu tarado, a Carol está vindo.
— Eu ouço quando ela desligar o chuveiro — dá tempo da gente fazer rapidinho.

O pervertido já foi tirando seu pau pra fora e colocando entre minhas coxas. Continuou se esfregando em mim e com as mãos por baixo do meu corpo amassava meus seios.
— Paraaa seu sem noção! — eu vou gritar.
— Calma anjinho, sabe que eu sou louco por você e faço tudo com carinho.
Eu me contorcia todinha tentando sair dele, minha bunda estava toda de fora, ele abriu minhas pernas tentando se alojar entre elas. Eu não resistia o suficiente para evitá-lo, a porra desse joguinho de sedução é viciante, quanto mais emoção, mais eu quero jogar. O deixei abrir um pouco mais as minhas pernas e comecei a sentir o seu pinto roçar minha vagina por cima da calcinha. Ele afastou minha lingerie pro lado e tentou me penetrar forçando a minha fendinha.

Não conseguia mais resistir, a pegada bruta despertou o meu lado cadelinha e deixou-me doida de tesão. Minha boceta estava molhadíssima e facilitou a penetração, soltei um gemido ao senti-lo me invadindo. Ele se acomodou entre minhas pernas arreganhadas. Ainda fiz charminho virando meu rosto com carinha de bichinho com medo e falei:
— Paraaa! Eu não quero, sai de cima de mim!
Ele aproveitou a proximidade de nossas bocas e me beijou. O beijo veio bem a calhar para abafar o urro que eu daria ao sentir seu pau deslizar todo pra dentro de mim… Ahhh! Ficou gostoso demais quando ele começou a bombar, contudo tentei sair debaixo dele.
— Para seu maluco, você está sem camisinha, tira de dentro!
Ele bombava forte ao mesmo tempo em que me prendia tentando me imobilizar. Não sabia se dava um foda-se e curtia o momento, pois estava quase lá, ou se dava uma mordida nele antes que me enchesse de porra e me causasse mais problemas.
Foi quando a Carol abriu a porta do banheiro e me chamou:
— MILAAA!!! — Vem aqui rapidão!
Ele deu um salto saindo de cima de mim, o FDP quase me matou de dor com a súbita retirada de dentro da minha grutinha. Ajeitei-me enquanto olhava feio pra ele e fui atender a Carol.

Era coisa de meninas, desceu pra ela durante o banho.
Não dei mais chances pro pervertido me agarrar naquele dia, porém o danado me deixou subindo pelas paredes. 


Beijos queridos amigos, até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Translate

Total de visualizações de página